catalogo-cultura-viva-pontos-fabrica-de-

Pontos de Cultura podem enviar imagens para o Catálogo Cultura Viva em Pontos

Período de inscrições prorrogado ate 5 de junho

Um dos resultados do projeto “Perspectivas Conceituais e Estéticas do Cultura Viva”, realizado pela ONG Fábrica de Imagens, é o lançamento de um catálogo de fotos e ilustrações que dialoguem com pelo menos um dos quatro principais conceitos políticos e estéticos  do Movimento Cultura Viva Latino-americano: a descolonização, a despatriarcalização, a desmercantilização e o buen vivir.

 

“Buscamos, conexões possíveis entre os conceitos citados e temas como artes, fazeres comunitários, relação com a natureza, economia solidária, economia social, feminismos, LGBTQI+, questões étnico-raciais, povos originários, comunidades tradicionais, juventudes urbanas periféricas, dentre outros”, explica a presidenta da ONG Fábrica de Imagens Christiane Ribeiro.

 

O Catálogo Cultura Viva em Pontos será construído com a participação de organizações e coletivos de Cultura Viva e Cultura Viva Comunitária, contudo a chamada também contempla  inscrições individuais ou coletivas de artistas (fotógrafes e ilustradores) independentes.

 

Para participar da seleção para o catálogo, é necessário enviar, até dia 5 de junho de 2021 (data prorrogada), de uma a três fotografias ou ilustrações acompanhadas de um pequeno texto poético, narrativo ou dissertativo, que estabeleçam diálogo com os temas e conceitos mencionados acima. As obras não precisam ser inéditas.

Leia o regulamento

Leer el reglamento

Clique e envie suas fotos ou ilustrações 

Cerca de quinze trabalhos serão selecionados para compor a publicação, que será lançada em maio, com  tiragem de mil exemplares físicos e também disponibilizada em formato virtual no site e redes sociais da Fábrica de Imagens. 

 

“O Catálogo mostrará um pequeno panorama da pluralidade e potência cultural na América Latina assim como trará uma contribuição política e estética para o Movimento Cultura Viva e Movimento Cultura Viva Comunitária”, explica Marcos Rocha, diretor da Fábrica de Imagens, articulador da Rede Latino-americana de Gênero e Cultura, integrante do Movimento Latino-americano de Cultura Viva Comunitária e da Comissão Cearense Cultura Viva.

 

Além de comporem a obra, os fotógrafes e ilustradores receberão o certificado de participação no projeto, que é realizado com apoio da Lei Aldir Blanc, gerida no âmbito do Governo Estadual pela Secult

 

Leia o regulamento

 

Leer el reglamento


Clique e envie suas fotos ou ilustrações